Treinamento não é rubrica: é cultura

Muitas vezes, nos períodos de crise, os primeiros investimentos cortados são os de capacitação e treinamento. Afinal, não se pode “desperdiçar” recursos. E, igualmente, muitas vezes, quando tudo vai bem, não se tem tempo para “desperdiçar” treinamento. Assim, o tempo passa, o tempo voa e a atuação desalinhada das pessoas nas empresas permanece não sendo boa.

E, olhem o paradoxo, se o investimento em automação e tecnologia continua vigoroso, não investir plenamente na capacitação da equipe pode trazer o cenário de encontrarmos empresas com o que há de mais moderno em tecnologia, mas com colaboradores sem condições técnicas para tirarem o máximo proveito dessa tecnologia toda.

Exercícios de treinamento, são um processo cultural. Valorizar a cultura do treinamento – além da óbvia capacitação – engaja, aprimora, motiva, mobiliza e gera impactos em produtividade e efetividade. Em suma, estamos falando de sobrevivência, pois treinamento não é medida cosmética ou mesmo burocrática. Não vale apenas avaliar o processo de desenvolvimento de pessoas somente pelo número de horas realizadas nisso. O grande ponto é analisar os resultados que estes treinamentos irão gerar para o negócio em termos de competitividade.

Ou seja: Treinamento efetivo é aquele que impacta verdadeiramente o negócio da empresa e gera uma qualidade maior na oferta de bens e serviços aos clientes.

Na e21, treinamento não é intenção: É ação.

Na e21, acreditamos e sempre acreditaremos que são as nossas pessoas que fazem a diferença na Transformação de Negócios que geramos nas organizações que atendemos. Nosso investimento em ferramentas de tecnologia e análise de dados (na e21 são mais de 20) também em nossos equipamentos e processos são a base, mas é o conhecimento, a habilidade e a atitude da equipe junto aos clientes que nos trazem vantagem competitiva.

Nessa semana, realizamos 2 sessões diferentes alinhando tecnologias/metodologias que a agência desenvolveu de maneira proprietária. Foram workshops internos, colaborativos, que envolveram 2 esferas diferentes de grande aplicação no dia a dia em nossos clientes, visando gerar soluções controladas de Comunicação Integrada e de Planejamento Ágil.

Temos executado sessões de alinhamento quase que semanalmente. E temos certeza de que isso – além de criar um grande sentimento de time – se transforma a cada dia em melhores soluções aos nossos clientes. – Coloca Luciano Vignoli – Diretor-Presidente da agência.

A e21 está desenvolvendo todo um calendário anual de treinamento, tanto em processos internos quanto em favor de novas tecnologias de gestão de marketing baseadas em análise de dados.

Teremos grandes novidades em breve. Nossos profissionais são nossos maiores ativos estratégicos. Cuidar desses ativos representa em última análise o máximo de atenção e cuidado com nosso cliente. – Finaliza Luciano.